Peelings Químicos

Peeling químico, também chamado de quimioesfoliação, quimiocirurgia ou dermopeeling, consiste na aplicação de um ou mais agentes químicos esfoliantes, ou seja, ácidos, na pele, levando destruição controlada de partes da mesma, seguida de regeneração do tecido.

O mesmo promove rejuvenescimento da pele, redução ou desaparecimento de lesões provocadas pelo sol, assim como, cicatrizes e rugas, clareamento de manchas, por renovação da pele e estimulo do colágeno.

Existem vários tipos de peelings químicos, pois os mesmo podem ser realizados por diversos agentes e atuam em camadas diferentes da nossa pele. Dessa maneira, sua classificação é baseada na profundidade atingida, como:

  • Muito superficial (esfoliação), exemplo: peeling de acido mandélico.
  • Superficial (camada epidérmica), exemplo: peeling de acido retinóico.
  • Médio (dermopapilar), exemplo: peeling de ATA, acido tricloroacético.
  • Profundo (dérmico reticular), exemplo: peeling de fenol modificado.

Os peelings químicos estão indicados para complementar o tratamento de muitas queixas dermatológicas frequentes, como:

  • Fotoenvelhecimento cutâneo: rugas, ceratoses actínicas e seborréicas, flacidez de pele.
  • Discromias: efélides (sardas), melasma, pigmentações pós inflamatórias, melanose solar.
  • Cicatrizes superficiais (por acne, trauma).
  • Estrias.
  • Acne e rosácea.

Por ser um dos tratamentos estéticos mais antigos e estudado na dermatologia, no geral, quando realizado por um profissional capacitado, é seguro e traz excelentes resultados.

O clima mais ameno de outono e inverno favorece esse tipo de tratamento, por isso aproveite os próximos meses e renove sua cútis!

Outros procedimentos de Peeling Químico

  • Peelings Superficiais

  • Peelings Combinados (2 tipos ou mais tipos de peelings quimicos em uma mesma sessão): face ou mãos

  • Peeling de Ata Médio em Face

  • Peeling de Jesner

  • Peeling de Fenol localizado

  • Peeling Químicos para olheiras

  • Peeling Diamante