Sol & Pele

O Sol e a Pele: Atitude saudável com relação ao sol hoje = sinal de inteligência.

Aumento da informação e a conscientização da população, a idéia de que “pele bronzeada é sinônimo de beleza e saúde” tem ficado para trás. Sol = câncer de pele e envelhecimento.

Proteger a pele dos efeitos nocivos do sol não é tarefa fácil Brasil = país cheio de sol e mar. No verão muitos querem estar na praia, no mar ou na piscina! E o que nos resta é a incorporação de hábitos saudáveis relacionados ao sol, ter uma atitude mais adequada na exposição solar.

Dicas:
Usar chapéus, bonés, óculos de sol, camisetas ou “roupas de praias”. Uso de guarda-sol, ou barracas de praia, coberturas de proteção e sombras em geral. Evitar a exposição solar entre 10 e 16h (horário de verão). Atentar também aos dias nublados, pois os raios ultravioletas (UV) atravessam as nuvens claras em aproximadamente 90%. Mar: até meio metro de profundidade, é medido ainda 40% dos raios UV da superfície. Raios UV podem refletir em qualquer superfície como areia, água e concreto.

Filtro solares:
Fator de proteção solar (FPS): padrão de medida para raios UVB Calculado com base na vermelhidão da pele. Seria o tempo que a pessoa pode permanecer ao sol de modo mais seguro Hoje = a atenção ao PPD, medida de proteção contra os raios UVA UVA: Incidem durante todo o dia, maior importância nos filtros de uso diário (“skincare”), ação coadjuvante no câncer de pele, fotoenvelhecimento, manchas e reações fotoalérgicas. PPD deve equivaler a pelo menos um terço do FPS do produto. Para praias, piscinas e praticas de esportes a textura do filtro solar deve ser consistente, com maior resistência a água e livres de ativos que possam provocar reações com o sol.

Uso de Filtro solar:
Aplicar em toda pele, pedir ajuda para aplicar em áreas de difícil alcance. Usar pelo menos 30 minutos antes da exposição ao sol. Lembrar de regiões como: orelhas, pescoço, pés, couro cabeludo (para os calvos) e áreas próximas às roupas de banho. Reaplicar a cada 2 horas e após sudorese intensa, banhos de mar ou piscina.

Protetor solar labial:
Altamente recomendável Evita a diminuição da imunidade local provocada pelo sol que leva ao surgimento de herpes labial aos predispostos. Além de evitar desidratação e queimaduras. Previne o câncer labial

Bebês:
Crianças até 6 meses de idade não devem utilizar filtro solar. A proteção do sol, no caso, deve ser feita com roupas leves e permanência à sombra.

Após o sol:
O sol resseca a pele. Após a exposição, é recomendado o uso de hidratantes suaves em toda pele. Alimentação = prefira alimentos leves e frescos, como frutas, verduras e legumes. Fundamental manter sua hidratação com água e sucos naturais.

Sendo assim, com o sol, também se torna válido, o conselho “usar, mas não abusar”
A proteção hoje traz benefícios para toda a vida.

Dra. Ana Carolina Antunes
Médica especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia
Pós Graduação em Dermatocosmiatria pela FMABC
Pós Graduação em Tricologia e unhas pela UMC
Preceptora do Serviço de Dermatologia da Universidade de Mogi das Cruzes